quarta-feira, março 18, 2009

7.12 - With honors

[ With honors ]

Li seus versos hoje mais cedo. Frases esparsas que você escreveu, que ouviu de alguém nos corredores ou simplesmente achou que poderiam tornar-se diálogo nas suas histórias jamais escritas. "Se a manhã me invade os olhos indiscreta...", você começou, sem poder terminar a frase. Sei, te conheço bem, você queria era fazer música. Era ter a criatividade e o brilho nas idéias que ilumina as mãos dos compositores. Idiota, você já tem. Só tem vergonha de encontrar, vergonha de achar você mesmo ridículo quando ler suas palavras em formas de melodia.

Lembra do último conselho que eu te dei, bobão? Para logo de reclamar da vida, para logo de esperar a oportunidade. Funcionou uns dias, né? Acha que eu não vi? Pois é, tava bem aqui do lado reparando o quanto sorrir à toa naqueles dias te fez bem. Eu percebi quando você pegou engarrafamento, depois uma chuva dos diabos e ainda chegou em casa sorrindo. Até suas meias estavam molhadas, olha que eu sei que nada te enfurece mais. Naquele dia você enfrentaria qualquer fila e preencheria qualquer formulário.

Agora taí? Nessa coisa parada, preguiçosa. Pensa que eu não escuto quando você pensa em dormir por mais algumas horas. Confessa! Você pensa às vezes em simplesmente ignorar todo e qualquer senso de responsabiliade. Mas eu sei e você sabe ainda melhor que eu, que você é responsável. Você não mata nem uma formiga se puder evitar. E se mata uma aula, é porque sabe que ela não é tão necessária. Desde criancinha você é assim, tenta parecer despachado, pra frente, tenta parecer "o" esperto, o safadinho... Mas ó, vou te contar um segredo. Você não é. Você é o cara certinho, essa é a sua função. E nem precisa achar ruim comigo, porque você é legal desse jeito. Sério, ow. Não tá vendo não? E esse tanto de gente que gosta de você exatamente assim? É porque elas precisam do seu bom humor pra começar as piadas e do seu bom senso pra acabar com elas quando é necessário. Eles sabem que você é e sempre será o mais sensato do grupo, aquele que vai pensar duas, três, mil vezes antes de agir.

É por isso que você não gosta de montanhas russas. Viu? Eu sei seus segredos, sei que você é taurino. Li seu horóscopo e sei exatamente suas fraquezas. Sei do seu medo de aranhas e da sua aversão por bonecos mascarados. E eu não rio não, eu entendo que só o fóbico entende a sua fobia.

Aliás, eu sempre estou lá. Eu estava do seu lado quando você escolheu esse curso, com uma ansiedade tão grande em virar gente grande. Me lembrava tanto aquele menininho que brincava de lego. E mesmo antes, quando não tinha tantos bonequinhos quanto eram os personagens que inventava, você transformava seus lápis de cor em pessoas. Cada uma com um nome, uma história, uma música. Você é foda, cara. Por que é que não entende? Por que é que duvida quando olha no espelho e deseja ser só um pouco mais alto, mais forte, mais bonito?

Conta aqui... já viu outra pessoa igual a você? Capaz de enxergar a mesma poesia em Nora Ephron e Fellini? Já viu alguém que chora lendo um livro do Nicholas Sparks e ao mesmo tempo decorou as linhas de García Marquez? Não, velho. Você é muito único, sem perigo de redundâncias. Aliás, falar que você é especial já é em si um pleonasmo. Você tem tanto ainda pra mostrar pra esse mundo aí. E se não conseguir terminar aquela música, não tem problema. Sério, nem tem problema se você não voltar a estudar piano, ou tirar carteira de motorista, ou comprar um computador novo ainda esse ano. Não precisa de tudo ao mesmo tempo. E não é porque esse é o seu último ano de faculdade que você vira gente grande no final. Você pode continuar sonhando, cara. Sério, dá até pra brincar de lego se você quiser... Não precisa resolver toda a sua vida porque alguém te disse que daqui uns meses você vai ser adulto.

Tá certo, eu sei, independência financeira sempre é benvinda. Acordar sem preocupações, gostar do trabalho, ter um cachorro, ter dois filhos, isso eu já sei que é o que você quer da vida. E sei também que se você chora de vez em quando é meio que porque sabe que nem todos os sonhos se tornam realidades. Mas se todos eles virassem reais, velho, qual é que seria a graça de sonhar?

Agora, se eu fosse você, tentava parar de reclamar da vida de novo. Tentava jogar mais frequentemente o jogo do contente sem temor de cair na resignação. Não era você que dava conselhos pros amigos dizendo que "everything is gonna be alright"?? Pois é, eu lembro disso também. Lembro que você tem sempre uma palavra legal pra dizer pra quem precisa. E até sei que quando você não sabe o que dizer, fica em silêncio, e sabe que isso é o melhor consolo.

Então, para com essa bobagem de acordar com preguiça, só contando as horas para o próximo momento de sono. E se o sol invadir seus olhos de manhã, agradeça por ele estar lá. Precisa de alguém pra te dar um tapa na cabeça e te mandar ficar ativo?? Olha da janela. Você adora janela. Olha e vê que se você estiver no caminho errado, no curso errado, no tempo errado, ainda tem uma eternidade pra você escolher mudar tudo de novo. E uma eternidade pra ganhar dinheiro, realizar sonhos, conquistar amores. Você é foda.

Outro conselho: vai terminar aquele roteiro. Suas frases são mesmo boas. Você sabe disso, principalmente quando encontra aquelas histórias antigas que escreveu quanto tinha uns 16, 17 anos. Só você mesmo pra escrever algo sobre você...

Dica de locadora: With honors - Com mérito (1994) Um filme foda. http://en.wikipedia.org/wiki/With_Honors_(film)

3 comentários:

Vilmar disse...

olá!!!
desculpa o tempo longe... ando tão sem tempo que nem tive como ler os textos anteriores e nem esse aqui. a ufsc tem tomado todo meu tempo, além de outras coisas tb...
mas prometo q logo ponho a leitura em dia.
como anda?
abraços!

Kel Sodre disse...

Concordo com tudo.

E a propósito do trabalho, tá mais satisfeito?

Xanda disse...

Eu adorava quando meus comentários eram anunciados ao vivo! Mas ainda sim é muito bom ler vc, ótimo texto...saudades mesmo estando nem tão longe! EX.T.F