domingo, agosto 13, 2006

Episode 5.10 [ Big ]

Episode 5.10 [ Big ]

Sem comentários sobre o episódio anterior.

E então lá estava eu naquele show perfeito de uma banda que eu já havia me esquecido que era tão boa. Pessoas felizes... companhia boa... mas algo estava errado. Talvez a sensação nostálgica que eu tive de estar de novo na 7ª série arrumando coragem pra ir falar com as meninas e curtir o show com a galera da minha sala, quando o meu mundo ainda se resumia ao colégio... Acho que tudo era mais fácil naquela época, porque a gente não queria mesmo nada sério... era só ir pro show, curtir um pouco, ouvir boa música (nem sempre), beijar pessoas desconhecidas... E hoje está tudo diferente porque eu simplesmente não consigo mais viver daquele jeito. Pra mim não adianta mais satisfação por uma noite.
E a juventude de hoje corrompida demais pro meu gosto... Enquanto o Dinho Ouro Preto fazia discursos sobre política e consciência moral, o garoto aprentemente rico e sem problemas na vida cheirava cocaína desvairadamente. Aposto que a vida dele não ficou melhor depois daquilo. E os meus amigos da época do colégio que hoje são apenas meros conhecidos a quem se cumprimenta na rua estão todos fumando e usando drogas...

Será que foi só eu que cresci?
Eu lembro que quando eu tinha 13 anos tudo o que eu mais queria era crescer logo. Na verdade, tudo o que eu queria nesse exato momento era voltar para a 7ª série e voltar a ser um garoto normal.

Soundtrack: O Mundo, by Capital Inicial

Big - Quero ser grande: filme de 1988, realmente memorável, com o Tom Hanks no papel de um garoto de 12 anos que amanhece aos 35 e se vê obrigado a se acostumar com as suas novas condições, encarando inclusive um emprego e grandes responsabilidades. Eu não quero ser grande...

8 comentários:

lonely star disse...

Eu ainda quero crescer... mas vc?
vc cresceu, sim... na verdade cresceu demais e vale muito mais a pena que os tiozões usando droga. Sei que é dificil, mas eles nem valem suas lamentações...

Ankh disse...

Crescer? Eu ainda não sei o que é isso.
E será que você realmente sabe?
Desde pequenos temos a ilusão de sermos mais adultos do que realmente somos e isso no final acaba se tornando uma somatória de tormentas desnecessárias na nossa cabeça no final.
Tô deixando as coisas acontecerem sem medir idade "claro que isso não significa estar sendo passivo às mudanças e acontecimentos", mas é mais fácil do que procurar um remédio depois que a doença já se espalhou. Aliás, é muito mais eficaz e saudável.
Experimenta usar um pouco dessa técnica. Vc será mais feliz.

Du disse...

Engraçado ler o seu post, pq eu sempre acho q to velho, pra algumas coisas que fazia antes. O mundo muda, a gente muda. A locomotiva da ocasião ñ pára. Perdemos a graça com algumas coisas, buscamos outras. Os valores mudam. Penso que é natural, é evolução. E ás vezes penso que tô velho mesmo.

Anônimo disse...

Mas que droga, héim?!
Na verdade, cara, a idade não mostra o quanto você cresceu. Estive pensando nisso e vi que você acaba sendo o mesmo, embora um pouco mudado, entende?! É o mesmo espírito e não acontece nenhum grande rito de passagem. Antigamente eu ficava pensando em como seria casar, ter profissão, essas coisas... Hoje eu estou dentro disso e penso: Cara, ainda sou eu... As nossas prioridades mudam, mas nada acontece com uma grande mágica. É um processo, como o Dú disse, é evolução. Agora, sobre as drogas (...)enfim, como eu disse, é preciso muito mais do que idade para dizer que cresceu. Drogas não fazem ninguém crescer.
Mas o tempo mostra verdades por aí! As frutas amadurecem.

Michele disse...

Uai, apareceu anônimo, mas o comentário de cima e meu!

Sinara Almeida disse...

Eu estou tentando me agarrar na infância até hoje, ainda não me dei por vencida, mesmo sabendo que ela se foi e as únicas coisas que tenho dela agora, são um sorriso maroto e lembranças que vou carregar até o alemão carregar.
Não aceitei as fases de minha vida de bom grado, não. |Fiz pirraça um bom tempo, não fui sucumbida pelo sistema, porém entrei em guerra com minha mãe e depois de certo tempo com a família inteira. Não segui os caminhos tão bem traçados para uma caçula de "futuro brilhante" e temperamento ácido. Não importa, com tempo irá descobrir que algumas coisas vão eternizar-se em você, outras por motivos vários ficarão pelo caminho. De uma forma bem diferente isso vai te acompanhar.
Não é você que está andando na contramão ou em outras vias, é apenas o seu caminho, mesmo não sendo o mesmo dos colegas da sétima série.

Mari disse...

Vc nao me contou como esse show do Capital fez vc pensar nao...
Crescer tem as suas vantagens e digo que elas compensam tds as desvantagens que vem com as novas responsabilidades!

henrique disse...

o paradoxo da vida (realmente nao dei um nome pra isso):
nunca se esta satisfeito com oq vc tem... qndo vc eh pequeno quer que o tempo passe, quando cresce quer que o tempo volte...
daqui a quatro anos vc vai querer voltar pro ano em q vc entrou na faculdade e conheceu toda a sua sala, lembrar do trote, das brincadeiras com as provas 'fodas' q vc tira de letra agora...
assim como fazemos agora com a oitava, setima, colegial....
"a historia se repete"