sábado, setembro 09, 2006

Episode 5.13 [ High Fidelity ]

Episode 5.13 [ High Fidelity ]

ou “Tentativa de recuperar pela memória o texto que eu escrevi antes de o computador travar”

Eu sempre fui assumidamente fissurado por listas. Sempre ordenei tudo ao meu redor. Top 5, top 10, top 50, top 100 de músicas, álbuns, bandas, cantors, filmes, pôsteres de filmes, novellas, livros… tudo o que eu via pela frente. Foi quando eu fiz um top 10 de melhores filmes de 1986 que eu percebi que aquilo estava indo longe demais (talvez eu desenvolvesse outros sintomas de TOC). Deixei um pouco os tops e percebi que era inútil decorar listas e saber de cor a ordem de créditos da abertura da novela das sete. O tempo passou e assisti Alta Fidelidade. E vi que não há nada de mal com as listas. Elas são coisas legais que fazem a gente ser feliz. E a gente quer ser feliz, não é?
Eu tentei fazer uma top 100 de meus filmes favoritos e vi que é algo impossível. O resultado foi uma lista desordenada de 200 filmes e mais alguns que tive dó de tirar. Mas ainda consigo… talvez se eu ver mais filmes realmente bons que me esclareçam a mente.

Inspirado em Alta Fidelidade e no blog do Nuno, um amigo da faculdade, eu pensei em fazer meu top 5. O tema? Pessoas essenciais no século XXI. Enlouqueci por meia hora pensando nas personalidades do mundo até não chegar a lugar nenhum. Talvez fosse mais fácil colocar aqui as personalidades do showbiz mais essenciais. Isso reduziria muito as possibilidades. Ou não. ficou ainda mais difícil (apesar de Madonna, Bono Vox e Angelina Jolie estarem presentes na maioria das combinações). Então tentei um tema fácil: 5 melhores cenas do cinema com músicas perfeitas para essas cenas. Como eu tinha certeza de que mais de 200 me viriam à mente, decidi incluir as primeiras 5 em que eu pudesse pensar. Fiquei até satisfeito com o resultado e talvez, se eu tivesse refletido mais, chegasse a uma lista bem parecida com essa. Vamos a ela, afinal. (Pule os comentários para uma leitura mais rápida, se quiser)

5 – Filme: “Dirty Dancin’ – Ritmo Quente” / Música “(I’ve had) The time of my life, de Jennifer Warnes e Bill Medley
É inegável a sensação semiorgásmica que eu tenho quando vejo aquela cena da coreografia final na festa de fim de temporada da pousada Kellerman’s. É uma retrospectiva perfeita das histórias dos personagens da Jennifer Grey e do Patrick Swayze, que passaram por muita coisa (ta bom, são historinhas clichês e bobinhas, mas ai de quem negar o título de clássico de Dirty Dancin’) até chegar àquele momento final, da última dança. Ainda lembro do arrepio que tive e que tenho toda vez que assisto a cena. Principalmente quando o Patrick comanda uma coreografia com os figurantes e convida Baby com o dedo para realizarem o passo final, que nunca haviam conseguido antes. E ela voa sobre ele… e isso é bem no refrão final da música, quando os intérpretes soltam a voz e nos fazem ver estrelas.

4 – Filme: “Efeito Borboleta” / Música: “Stop cryin’ your heart out”, de Oasis
Quem não gostou pelo menos um pouquinho desse thriller? Quem não se surpreendeu? Tudo bem, é um filme com um grande apelo comercial (aturamos Ashton Kutcher até o final), com uma história inverossímil e que usa de truques banais para sensibilizar o telespectador. O problema é que deu certo. Pelo menos comigo. Que me atirem pedras os eruditos, mas Efeito Borboleta é um filme excelente. E é ainda melhor pelo seu final, bem fora dos padrões. A última cena, em que os personagens de Ashton Kucther e Amy Smart caminham em direções opostas ao som do revival de Oasis é antológica.

3 – Filme: “Quase Famosos” / Música: “Tiny Dancer”, de Elton John
Já virou moda babar o ovo de Cameron Crowe. Mais moda ainda é considerar Quase Famosos um cult. Mas não é que o filme é dos melhores mesmo? Roteiro esperto, cheio de cenas hilárias (“I’m 18…” “Me too…”) e sensíveis, a autobiografia de Cameron Crowe faz qualquer pagodeiro se apaixonar por rock dos anos 70. A cena perfeita acontece quando o personagem William (Patrick Fugit em um momento único de sua vida) está pronto pra abandonar a banda Stillwater. O ônibus está fazendo o caminho de volta e todos os personagens estão cheios um do outro. Aí o Elton John começa a cantar e os personagens se lembram do por quê de estarem juntos ali: a paixão pela música. Os roqueiros, as groupies, o intruso jornalista… Tudo se encaixa perfeitamente bem nesse momento.

2 – Filme: “Closer – Perto Demais” / Música: “The blower’s daughter”, de Damien Rice
Sem muitas palavras sobre o filmes. A primeira vez que eu vi alguém roubando a cena de Julia Roberts. A cena e o marido. Momento perfeito do cinema. Duas horas sustentadas nas costas por quatro atores excelentes. E a cena, comentada inclusive no blog do Nuno, é a primeira. Srta. Natalie Portman vinda de lugar nenhum, aparentemente mais uma no meio da multidão, quando é notada por sr. Jude Law. E é o ponto de partida para uma história de encontros e desencontros. Ao som da música que surgiu, se tornou clássico, se tornou insuportável pela repetição, se tornou brega, mas ainda sim é lindíssima. Será que alguém consegue tirar Natalie Portman da mente?

1 – Filme: “Conta Comigo / Música: “Stand by me”
O filme ainda não superou o livro de Stephen King, apesar de ser um clássico dos anos 80 que não merece o posto de “Sessão da Tarde” que lhe é conferido. Esse filme deveria figurar em qualquer lista de filmes que alguém possa fazer porque é uma história tão sensível e tão bonita sobre um rito de passagem. E a música é tocada durante o maior rito de passagem do filme: quando os quatro personagens principais percebem que dali pra frente, não serão mais crianças. Voltaram ao mundo real, é hora de crescer. Talvez isso signifique que eles irão se separar e tornar-se estranhos na escola, mas aquela aventura e a infância que compartilharam estará sempre com eles. E tudo ficará bem. Nessa hora, impossível não chorar.

Espero que o Top 5 tenha agradado. Ou pelo menos lido.

Ps: enquanto escrevia o post, me lembrei da melhor cena de V de Vingança, quando Tchaikovisky está no seu auge.

Soundtrack: The blower’s daughter, by Damien Rice

8 comentários:

Padeira disse...

Pulp Fiction - Nem vi o filme inteiro, mas a cena do Jhon Travolta dançando com a Uma Thurman é inequecível

Karatê Kid - Glory of Love
A silhueta de Daniel Sam sobre um toco na praia e ao funco o crepúsculo

Top Gun - Take my breath away Tom Cruise quando começou a fazer barba na vida dele, sobre uma moto indo pra casa da mulher lá.

Psicose - Música:Tan Tan Tan Tan... Uma faca... uma mão... Um banheiro...

Esqueci o neme do filme, acho que é Ela é demais, na hora em que ela desce a escada e toca Kiss me.

Vixi, foram esses filmes que vieram à minha cabeça agora... Tô velhinha!!

Nuno disse...

Ae Otaviooooooo!!! Não sabia desse blog seu! Muito legal! E que bom que não sou só eu que tenho TOC. Sobre essa lista, não acho Efeito Borboleta tão especial... Mas nem vou tentar pensar em outras aki senão fico doido... Quem sabe eu me inspiro com a sua idéia e sento pra fazer uma com o mesmo tema depois? Vai continuar com TOP 5-zes? Abraço!

nath, baby. disse...

eu odeio efeito borboleta!!Q
closer e dirty dancing forever!
eu me convido pra ir no baile de rosa choque!!
essa da loja de departamento eu lembro hauhauhauhauha um q passou na seção (sessão?) da tarde outro dia né?
acabei de saber q meu layout ta com defeito e eu quero ver america's next top model aaaaaaaa

Du disse...

Eu gostei de efeito borboleta!Closer eu ñ vi por bobagem da minha cabeça, numa época que esse assunto era tabu na minha vida. Conta Comigo marcou! Descobri que preciso de listas na minha vida, pq eu simplesmente ñ guardo nada na cabeça!!!

Du disse...

Tá vendo! Será que Memoriol resolve? Esse fds a gente viveu pouco. Olha... eu vou descontar... mas no próximo... PATA CHOCAAAAAAA!

Ankh disse...

Nem tenho listas...
Mas uma das músicas que mais me marca em filme é Iris "Cidade dos Anjos"... mas como disse, não tenho lista.
Engraçado. Acabei de fazer um post sobre música e vim aqui ver o que tinha de novo e encontrei outro que fala também de música. Acho que você vai gostar do meu, mesmo ele sendo uma VIAGEM!
Como o Du disse, "TEMOS QUE VIVER MAIS"

henrique disse...

eh isso ai,
nao pare de listar nunca

victor disse...

Custei a encontrar o lugar dos comments!
Bão. Primeira coisa: tô lendo todos os episódios! (na verdade, só os disponíveis)
2- Concordo com o Nuno. Também não acho "Efeito Borboleta" especial assim... Mas concordo com vc tb. Essa cena, com a música, é realmente mto boa!
3- Eu falei exatamente a mesma coisa que você quando vi "Closer" pela primeira vez (eu já devo estar na quarta...). Foi a primeira vez que eu vi a Julia Roberts ser ofuscada.
4- Ainda sobre "Closer": me apaixonei profunda e perdidamente pela Natalie Portman já nessa cena.
5- Mais uma: adoro ter ídolos em comum!
6- Só mais esse: Otávio, como assim? Dez melhores de 1986?! Hahahaha! Adoro TOC.
7- Mentira. Tem mais. "Conta Comigo" e "Quase Famosos" são FODAs!
8- Agora eu vou. Era só pra falar que eu achei isso MUITO legal: "a autobiografia de Cameron Crowe faz qualquer pagodeiro se apaixonar por rock dos anos 70"
9- Té mais! Vou continuar lendo!