segunda-feira, junho 02, 2008

7.01 - St. Elmo's Fire

[ St. Elmo's Fire ]



previously in Teatro de Vampiros...

São muitas as emoções que a gente sente por dia. São muitos os pensamentos, múltiplas esquinas de raciocínios, múltiplas encruzilhadas e turning points. São muitas as contas, são muitas as dívidas, muitos os pagamentos. São muitas as respostas que procuramos e também são muitos os sonhos que figuram na nossa cabeça, nem sempre trazendo sentido à nossa realidade quase sempre virtual. São muitas as obrigações. No meu caso, pautas, fitas, programas que caem, promessas que falem e sonhos que não se realizam. Mas no final das contas, se a gente não cair das janelas da vida, tudo continua. E por muito, muito, muito tempo.

Talvez todo o papo sobre a defenestração não faça muito sentido, porque no fim, tudo o que temos é o nosso próprio quadrado, e as histórias que fazemos acontecer dentro dele. Tudo se resume ao Happy Project. É claro, um tanto individualista pensar primeiro na nossa própria felicidade. Que me desculpe o mundo, mas é a única coisa que tem funcionado pra mim.

Não é só contornar assuntos acabados e amores frustrados, é bem mais do que isso. É poder ver a vida de um jeito diferente e daqui de cima a visão é bem melhor. As possibilidades são bem mais amplas. E tudo isso porque eu tenho 20 anos (embora muitos possam ter zombado dos momentos de reflexão que fazer aniversário naquele início de maio tenha me causado). Tudo porque eu resolvi viajar para ver o Oceano Atlântico num fim de semana qualquer. Tudo porque a vida simplesmente acontece e é o tempo que nos direciona onde ir. E acima de tudo, porque eles nunca vão compreender o que, para mim, é o Explosion. E é até melhor que não compreendam, porque pensar demais não é uma boa idéia. Eles nunca vão saber a dimensão desse grupo dentro da minha vida. Mais do que um roteiro de Malhação ou mesmo um seriado americano em reprise. Mais do que as letras das nossas canções. Mais do que copos vazios no fim da festa. Together forever everywhere.
A gente vai abrir a nossa própria empresa.

Dica de locadora: St. Elmo's Fire (O primeiro ano do resto de nossas vidas) - Sete amigos recém-formados se deparam com a amarga realidade do mundo real, tendo que conviver com a insegurança profissional e emocional nesta nova fase da vida. Este novo momento pode pôr em risco a amizade existente entre eles, a qual acreditavam que seria eterna.
Citação: "Cada um no seu quadrado", autor desconhecido
Trilha sonora: I've just seen a face, by The Beatles

13 comentários:

Naty disse...

Ninguém nunca vai entender o que acontece nas nossas noites de sexta, por que mais que está lá uma vez ou outra, é preciso sentir o espírito. É preciso compartilhar os efeitos (rs).
E é bom que seja assim, porque essa é uma coisa nossa...


Explosion no seu quadrado! rs

Xanda disse...

Sabe às vezes as coisas ficam confusas demais e quando o ano começou era tudo revirado e sem sentido e estar com vcs tem feito todo o sentido do mundo...seu texto tá insuperável...Meu olha encheu de lágrima...Ngm pode entender mesmo pq a empresa é só nossa o quadrado, os momentos...
amei...

sblogonoff café disse...

Mesmo não entendendo "o espírito" e me contentando com pequenas participações em sua vida, fico feliz por saber que encontrou o "seu quadrado" (por mais hedionda que eu considere essa música!!rsrsrs
E fiquei feliz também em te mostrar o oceano atlântico num fim de semana qualquer. Ele parece não ter fim! Que seja assim a completude e a importância de um grupo em sua vida!
Mas ainda penso que poderiam fazer a tal explosion beach!!!

sblogonoff café disse...

É que sou uma irmã carente...
Meu irmão mais velho mora looonge.
Meu primeiro caçula se casou.
Êntão tem você, né, pra eu ficar cobrando atenção!Rs

No ritimo das coisas, uma linha já me faz feliz!

Amèlie disse...

ado...aado. cada um no seu quadrado! Ele mostrou coméquié! rsrs Ah. Otávio, logo vc...hihihihi

Luiza disse...

aha! num é que eu entrei no sue blog (e no sabado a noite...eu estar em casa é tipo, milagre!)
primeira coisa... o autor do quadrado é conhecido sim...ou melhor, conhecida... atende pelo nome de "Sharon" huahuh... isso mesmo, sem mc ou dj na frente!

dois: gostei de ver meu nome encabeçando os explosions...

três (ah é, tenho que falar do texto): muuuito legal!! voces com esse talento de escrever são um sucesso... conseguiu falar direitinho do explosion, tão bonitinho, tão serio e tão divertido...
e o mundo que se prepare, pq Season 2 vem ai...

novos conflitos
novos amores
novas descobertas
novas festas
o mesmo explosion!

bjok querido!

N. disse...

queria saber dos teus planos
e quase chorei com aquilo de que pensar demais mfaz mal... acho que é por constatar ser verdade.

amo tu.

Jean Baptiste Grenouille disse...

Together forever everywhere.

Eu sempre tive a mania de achar que as pessoas, as amizades, os amores seriam pra sempre. Comigo nunca deu certo.

É bom ver q com as outras pessoas isso dá certo. Me dá força pra continuar tentando, continuar confiando.

P.s.: Nunca vi tanto explosion na frente sem saber o significado. Também acho que nem explicando eu saberia. São os mistérios da vida!

Kel Sodré disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kel Sodré disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kel Sodré disse...

shame shAME SHAME on you, Otávio!!! Shame on you ao infinito! Comassim, você me indica o Champ e nunca me falou do seu blog??? Comassim eu tenho que descobri-o quando o Rob te cita em um dos posts dele???
E comassim eu tenho que resolver ler o blog logo no dia de um post tão profundamente bonito e do qual eu sinto que poderia ter vindo a fazer parte se não tivesse havido uma península no meio do caminho???
Sinto por não fazer parte do Explosion way of life...

Kel Sodré disse...

PS: qualquer dia eu te passo o meu blog, tão logo ele estiver mais arrumadinho. =)

Amèlie disse...

Sabe, qdo eu tinha meu próprio "Explosion" em Pará de Minas e mamãe me arrancou de tudo pra me mandar pra Guaranésia em pleno último bimestre da 7ª série, eu obedeci, mas pensei que ia morrer por dentro. Eu pensava que aquelas pessoinhas eram minha vida, e eu só tinha 13(?), nem era tão maravilhoso assim como o seu Explosion. EU chorava, escrevia cartas enormes, recebia outras enormes...Mamãe falava: nada é pra sempre, isso também vai passar. E sabe uma coisa? Não ficou ninguém. Ninguém, nem na internet achei meu povo de Pará de Minas. Conclusão: Curta mesmo enqto existe. Só não esquece que nós tbem existimos, e não perca aquilo que eu te disse de estar PRESENTE de corpo e alma em qquer lugar que vc estiver. Isso é mto raro, e graças a Deus, até hoje, vc teve. Viva o poder do agora.