segunda-feira, junho 30, 2008

7.02 - Se eu fosse você

[ Se eu fosse você ]



Existirmos: a que será que se destina?

"Mas o que é que vocês lêem?", perguntou o professor, enfatizando a questão anterior, quase retórica, sobre os hábitos de leituras dos alunos na aula de teoria do jornalismo. Somos quase jornalistas, pensei eu, deveríamos ler, assinar, criticar e escrever 20 horas por dia. E foi aí que começou um daqueles momentos de autopiedade que nos ocorrem às vezes. O que é que eu to fazendo aqui? Como é que eu posso me dizer um aspirante a jornalsita se eu só acompanho os acontecimentos do mundo depois das reverberações, depois das repercussões. Só descobri quem era Isabella quando o escândalo da vez já era outro. Não acompanhei a história dos militares gays na Época e nem o caso Ronaldinho na Veja. Nem mesmo o Super eu leio, a não ser pra saber o que é que vai acontecer na novela. "você é o que você lê", ouvi de alguém certa vez.

Talvez seja isso. Eu leio novelas, apesar de não acompanhar nenhuma. Chego na redação, no ambiente de trabalho, e abro o G1 pra ler a nova crítica do filme que estreou essa semana. No máximo leio alguma coisa sobre a última lista das 100 canções mais importantes na história da música brasileira. Leio romances às vezes, no intervalo entre um Charaudeau e um Mouillaud. É por isso que faço aulas de literatura... porque é lá que tenho Joyces, Woolfs e Hemingways no meu caminho. Mas ainda assim, isso não resume o que eu sou.

Eu sempre durmo mais cinco minutos e não chego atrasado. Deixo os trabalhos para a última hora, principalmente os mais difíceis. Tento não dormir em algumas aulas. O meu jeito de prestar atenção é desenhando alguma coisa numa folha em branco enquanto o professor fala. Não tenho má-vontade na hora do trabalho, mas saio da TV logo que o horário é cumprido. Volto pra casa ouvindo música no mp3. Gosto de LS Jack e sou recriminado por isso. Gasto dinheiro que não tenho comprando coisas essenciais na minha vida, como um McFlurry Suflair ou um Subway. Tenho auto-aulas de canto e faço shows dentro do meu quarto, mas não uso nenhuma técnica na hora de cantar Legião na roda de violão. Assisto seriados na tv e fico na internet até de madrugada sem motivos especiais. Varro o meu quarto quando a poeira começa a me incomodar, não guardo os cds de volta em suas caixas. Minha cama é sempre desarrumada e meu guarda-roupa organizado por cores. Como igual um peão de obra e ainda não consigo ganhar peso. Não freqüento academia por preguiça e por princípio. Escuto Miley Cyrus na mesma lista em que escuto Nana Caymmi. Tenho uma paixão platônica pela Elisha Cuthbert e pela Paris Hilton.

Já se foi a época em que eu assistia um filme e não descansava até escrever uma grande resenha sobre ele. Entrei na faculdade e vi que as resenhas não eram tão boas assim. Hoje, cinema só de vez em quando. Só vejo filmes que eu baixo, vez ou outra um clássico alugado da locadora. Continuo gostando de Beatles e The Beach Boys. Queimo incensos no quarto olhando o movimento pela minha janela do sétimo andar. Vejo a vida passar e retornar. Me deixo inspirar pela avenida e carros. Me deixo inspirar por pessoas, fatos e coisas. Me inspiro pelo episódio que acabei de ver de "Confissões de adolescente" ou pela música antiga da Patrícia Marx.

O que é que eu leio? Eu leio blogs. Blog do Noblat? Observatório de imprensa? Não. Eu leio as inquietações da minha irmã, leio os devaneios da minha outra irmã. Acompanho as críticas indignadas do Nuno. Eu leio o blog da Naty, o blog da Xanda. Leio as divertidas histórias mirabolantes do Rob Gordon. E leio textos teóricos porque sou obrigado. Já se foi a época em que eu pegava Platão pra ler só por diversão, só pra ver o que é que ele podia me falar a respeito de amor. Já se foi a época em que eu lia roteiros de cinema e tv só pra experimentar uma sensação criativa diferente de simplesmente assistir passivamente. Se o que eu leio me define então eu sou emoção, sou confiência, sou atenção, sou diversão, sou onirismo, sou niilismo.

O que é que eu leio e o que é que eu sou. Não é uma pergunta. Só um fragmento de frase que o word diz que está sintaticamente inadequada. Definição é limitação, velho clichê. Eu sou isso então. Sou só um clichê. Com um pouquinho de sonho misturado. E cobertura de chocolate. Eu sou um cartão de crédito sem limites. Sou uma tarde gris. Sou todo um monte de pequenas coisas. E tudo deve passar.

Dica de locadora: Se eu fosse você. Tony Ramos, Glória Pires, Daniel Filho e Globo Filmes. Tire suas próprias conclusões.
Citação: ver epígrafe. (Caetano Veloso, Cajuína)
Trilha Sonora: What am I to you?, by Norah Jones

9 comentários:

Kel Sodre disse...

Voilà:

www.armariodecoisinhas.blogspot.com

Luíza disse...

segundo o ultimo livro que eu li, não só você é o que você lê, mas você também lê o que você é...

(ps. to acordada até essa hora pra ler o super...)

sblogonoff café disse...

(Sorriso!)

Primeiramente, ótimo texto!
Principalmente a parte onde você diz que não guarda os CDs de volta na caixinha!!! Ahaaaa! Não pode mais chamar a minha atenção por isso. (Se bem que nem adianta mais. Estamos tão longe!)

Eu preferia sua paixão platônica por alguém que fizesse sentido na vida, como a Júlia Roberts! (O que aconteceu com sua paixão por Júlia?!!)
Mas Paris Hilton (?!?) Bem, vá lá... Pelo menos não é pela Britney nem pela Amy.
Winnfnjdhfhgjffbhouse.
Pela Elisha, tá tudo bem!

E esta frase: "Sou um fragmento de frase que o word diz que está sintaticamente inadequada" foi uma interessante definição.
Acho que sou isso também!Rs! Com risquinhos vermelhos e aquelas ondinhas verdes que delatam erros de concordância!

Eu tenho lido bons textos ultimamente. Seu blog e de alguns amigos seus são muito bons! Também leio a minha irmã e suas inquietações. Estou lendo "Despedindo-se da Terra", leio Artigos no Vademecum TODOS os dias, leio a legislação estadual do ES, leio bula de remédios que não tomo, leio frascos de shampoo no banheiro, leio placas de carro pra ver se encontro uma de Sete Lagoas (às vezes encontro!)e depois faço "noves fora", leio outdoors e leio msgs no celular. Literatura compacta!

O que será que eu sou?!

Naty disse...

Se definir é muito difícil. Somos o que lemos, o que ouvimos e o que escolhemos ser. E escolher trocar o Mouillaud pelo J. D. Salinger e pelo Garcia Marques e o blog do Noblat pelo seu e o da Xanda são coisas que me deixam um pouquinho mais feliz.

Deixa as notícia sobre o último escandalo para as aulas, para as horas na redação e para as piadas de humor negro.

E um Subway seguido por Mcflury Suflair são extremamente essenciais para a vida!

Otavio Cohen disse...

um subway, mesmo não seguido de NADA é essencial. uma das 10 melhores coisas da VIDA.

Ruleandson do Carmo disse...

Eu gosto do LS Jack, acho a Britney Spears uma das dez maravilhas do mundo (ainda consigo dançar Oops.. como ela!), e sempre que pego um jornal leio o horóscopo e jogo o resto fora. Também sou jornalista e não tô nem aí, duvido que os médicos leiam bulas de remédio todos os dias.
Acho que só tenho um jornal inteiro guardado. Não pelo jornal,mas por quem me deu. Não sou o que eu leio, acho que sou mais o que eu vejo... não sei...vou ler mais sobre isso (não no jornal!).

Raquel German disse...

Você fala das coisas de um jeito que me faz pensar se é o mesmo que me "ouviu" reclamar de namoros frutrados outro dia mesmo ali no msn. Era você? O mesmo que acende incensos e tem cobertua de chocolate?
Não sei viu, mas acho que eu sou chantilly.

Beijos de luz (:

Amèlie disse...

Ow, eu tbem gosto de LS Jack e concordo com o Ruleandson "ainda aprendo a dançar oops I´did it again", amo esse CD da Britney. Qual é o problema da gente gostar de coisas que a maioria dos nossos amigos não gostam? É no mínimo engraçado. Eu não ouvi Viva o Arco-iris no computador da escola e todo mundo deu risada?Foi engraçado!
Ow, mas o meu scrap do outro post foi pra esse aki, foi um lapso. É que ontem mamãe esteve aki, nós duas lemos, mas eu não consegui comentar. Daí, entrei, fui comentando, mas era nesse aqui.
(hihihi ela leu o seu e o da Mi)
Vcs são THE BEST com as palavras, ficamos orgulhosas as duas.

Amèlie disse...

Mas que diabos são esses SUBWAY e
Mcflury Suflair ???????????????? eU QUERO UM QUADRADINHO SE FOR CHOCOLATE!