segunda-feira, abril 23, 2007

6.06 - The Lonely Guy

[ The Lonely Guy ]

Nem me pergunte por que, mas acabou de me bater uma tristeza. Aí, como já to sentado aqui mesmo, esperando dar a hora de ir para o trabalho, aproveito e escrevo. Esse espaço em branco onde a gente escreve a postagem é o espaço em branco mais compreensível da face da terra
To com uma tristeza esquisita, uma vontade louca de só ficar quieto e deixar a lágrima sair, se ela quiser. Uma tristeza daquelas que nem a mãe da gente entende, muito menos a gente mesmo.
Semana passada eu senti pela primeira vez que tá na hora de crescer. Eu já aprendi a pagar minhas contas, a ir no banco, a fazer minha própria matrícula na faculdade e até minhas próprias contas, mas faltava aprender a cuidar de mim mesmo quando eu ficar doente. E talvez por vergonha disso eu não liguei pra minha mãe e fiquei sofrendo aquilo sozinho mesmo, porque nem remédio eu tinha em casa. Será que é isso que o pessoal por aí reclama quando cantam a solidão?

Mas ainda não sei se essa tristeza é por causa disso. Eu estou conseguindo evoluir lá na TV, finalmente! Eu deveria estar pulando!
E ontem ela me ligou e a gente só não conversou mais porque a minha timidez não permitiu que eu ignorasse que minha família toda estava logo atrás da porta e podia ouvir o que eu ia falar - e com certeza era bobagem. Era pra eu estar morrendo de alegria. E estava. Mas agora estou triste.

Será que se ela soubesse que às vezes eu tenho essas crises de tristeza ela ainda teria me ligado ontem? Será que se ela conhecesse meus defeitos seria a mesma coisa?

E ela nem sabe que só um comentariozinho dela à toa me fez dar um valor imenso pra minha família e ver que eles são bem mais importantes pra mim do que eu pensei e que nos últimos 18 (quase dezenove, meu jesus...) anos eu vivi sem perceber isso.

Eu acho que eu preciso dar uma consultada no espelho e dar um jeito nessa minha vida. Talvez essa tristeza seja um sinal pra me avisar que eu estou vivendo uma vida normal. E eu não nasci pra ser (só) normal.

Dica de locadora: The lonely Guy (O rapaz solitário) - Após flagrar sua namorada com outro homem, um escritor decide fazer um livro falando sobre como é ser solitário. Dirigido por Arthur Hiller (Love Story) e com Steve Martin e Charles Grodin no elenco.
Citação: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" (Saint-Exupery)
Trilha Sonora: I've been waitin', by Sixpence none the richer

4 comentários:

nathália disse...

e não n asceu mesmo,
vc nasceu pra ser Otávio.
Isso n ão é defeito.
E ela é uma linda por ter ligado.

nathália disse...

(e esse ano eeu to feliz porque vou te dar um abraço no seu aniversário yeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeahs)

Vilmar disse...

Nossa, eu tb passei por essas coisas de se virar sozinhos há uns meses atrás. É difícil, mas bem legal. E nunca fiquei doente (ainda bem), mas tomei um torrão na praia que me deixou sem dormir direito uns quatro dias, fora a coceira quando a pele começou a trocar... Ah, foi horrível! =P

Normal? Acho que nós não nascemos pra ser normais MESMO!
E isso é ótimo!
^^

Saudades!
[]'s

Du disse...

Pois é helena, eu nem sei mais das coisas. Mas será que algum dia eu soube? Vai na fé!